terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Trilhas do Rio de Janeiro – algumas boas opções

Selecionei algumas opções que merecem sua atenção pela beleza, pela interação com a natureza, umas mais difíceis, outras que pedem alguma proteção, mas que não podem ficar sem sua visita.

Morro da Urca nível leve, 40 a 50 minutos
Pedra Bonita nível leve, 40 minutos
Trilha do Costão – Pão de Açucar nível pesado, 2 horas, trecho de escalada.
Morro Dois Irmãos nível médio a leve, 40 minutos
Pedra da Gávea nível pesado, 3 horas, trecho de escalada
Pico da Tijuca nível médio, 2 horas, escadaria de pedra
Cachoeiras do Horto Florestal nível leve, 2 horas com paradas para banho
Pico do Papagaio nível médio, 3 horas
Pedra da Tartaruga nível médio, 2 horas
Açude do Camorim nível leve, 2 horas
Serra do Mendanha nível médio, 1 hora

retornar ao índice principal

 separador

 

urca1 urca2

Morro da Urca – trilha curta (1,5km), mas que demanda certo esforço para vencer os desníveis. Muito bem marcada, podendo ser vencida em até 40 minutos. Parte da pista Cláudio Coutinho (caminho do bem-te-vi), na Praia Vermelha e termina no primeiro nível do bondinho (morro da Urca).

A vista de lá é indescritível, desde a enseada de Botafogo, Cristo, Baia de Guanabara, ponte Rio-Niterói, Praia do Flamengo, Centro e etc, além é claro do Pão de Açucar. Querendo subir mais, compre ingressos no bondinho e complete este lindo passeio.

Mais um pouco sobre a Urca, veja no post Urca – escaladas, trilhas e morada.

<voltar ao topo>

 separador

bonita2 bonita1

Pedra Bonita – Pode ser cumprida em até 50 minutos em trilha de nível leva.

No topo da Pedra Bonita tem-se a vista imponente da Pedra da Gávea e os 360 graus de lindos horizontes cariocas.

<voltar ao topo>

 separador

costao1 costao2

Trilha do Costão – Pão de Açucar – De nível médio a pesado, com um trecho de 20 metros que requer aplicação de procedimentos de segurança para escalada.

Não faça isso sem o suporte de um guia treinado. Entre a partida e o retorno, leva-se entre 3:30hs, já considerando paradas para desconso e fotografias. No link a seguir, mais detalhes desta trilha especial. Trilha do Costão do Pão de Açucar.

<voltar ao topo>

 separador

2irmaos1 2irmaos2

Morro Dois Irmãos – Trilha curta de 1,5km, que começa dentro da comunidade do Vidigal.

Evite subir a pé, até o início da trilha. Sugiro contratar o transporte na entrada da comunidade (van, moto-táxi).

No topo, você vai confirmar que não existe lugar mais bonito que o Rio de Janeiro.

<voltar ao topo>

 separador

gavea1 gavea2

Pedra da Gávea – Trilha considerada pesada. São recomendadas 3 paradas para descanso e suporte de cordas para vencer os 25 metros de trepa-pedras, conhecido como “lance da carrasqueira”.

Um guia também é muito bem vindo. A chegada ao topo vale todo esforço. Opção de chegar ao topo por vias de escalada são muitas, para aqueles que tenham esta qualificação.

No post a seguir escalamos a tradicional via Passagem dos Olhos.

Pedra da Gávea – Via Passagem dos Olhos.

<voltar ao topo>

 separador

pico2 pico1

Pico da Tijuca – Com 1020 metros, é o ponto mais alto da Floresta da Tijuca. Considere que vai precisar subir mais de 110 degraus, esculpidos na pedra, já próximo ao cume.

Trilha de nível médio, por conta de algumas subidas fortes. Bem marcada e sinalizada. Estivemos lá em 2001. Vejas as fotos no post a seguir. Pico da Tijuca.

<voltar ao topo>

 separador

quebra1 chuveiro

Cachoeiras do Horto Florestal – Dentro do Parque Naciopnal da Tijuca, fuja do calor trilhando o caminho que leva as Cachoeiras dos Primatas, do Quebra e Cascata do Chuveiro.

No post a seguir, veja os detalhes e fotos deste lindo passeio. Cachoeiras do Horto Florestal.

<voltar ao topo>

 separador

papagaio2 papagaio1

Pico do Papagaio – Na posição de segunda montanha mais alta do Parque Nacional da Tijuca (980 metros), tem trilha de nível médio, que requer atenção em razão das muitas variantes que levam a outras trilhas. Sempre que possível, contrate um guia.

<voltar ao topo>

 separador

Tartaruga05 Tartaruga08

Pedra da Tartaruga e Praia do Perigoso – Início na praia de Barra de Guaratiba. Se escolher fazer o trilha no fim de semana, chegue bem cedo, para conseguir entrar com o carro dentro de Guaratiba. Depois de certa lotação, a entrada na praia é fechada.

A Pedra da Tartaruga é muito usada para rapel (90 metros). A vista é especial e a praia do Perigoso é mesmo muito bonita. Nos fins de semana é bastante frequentada.

No link a seguir algumas fotos de nossa visita ao lugar. Pedra da Tartaruga

<voltar ao topo>

 separador

açude1 açude2

Açude do Camorim – Ainda responsável pelo abastecimento de grande parte da água distribuída a Jacarepaguá, a trilha até o açude é considerada de nível leve, com 2kms de extensão.

É bem marcada e conta com Centro de Visitantes para obter informações detalhadas.

<voltar ao topo>

 separador

OLYMPUS DIGITAL CAMERA         mendanha2

Serra do Mendanha – Situada em Campo Grande, requer deslocamento de carro (1 hora), desde o centro do Rio.

A trilha é marcada, mas variantes podem levá-lo a seguir pelo caminho errado. Vá com alguém que já conhece o percurso.

Após 40 minutos, chega-se a cachoeira de mesmo nome, com um grande poço para banho e uma queda de 30 metros que proporciona um cascading dos bons.

No post a seguir, mais detalhes desta nossa investida. Cascading na Serra do Mendanha.

<voltar ao topo>

 separador

retornar ao índice principal

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Muri – Vargem Alta – Nova Friburgo

Saindo para Muri

Resumo da Viagem:

Esta visita a Muri teve como objetivo principal conhecer o CCB de Muri, sempre muito bem citado pelos apreciadores do campismo. Mas como nunca ficamos limitados ao espaço do camping, aproveitamos para conhecer a localidade de Vargem Alta, considerado o segundo maior produtor de flores do Brasil, sendo superado apenas por Holambra em SP.

Como esperavamos, o CCB de Muri é especial, com muito verde, bem cuidado e administrado. Todas as facilidades operando normalmente. Como dedicamos um post específico (link acima) para o camping, vamos nos concentrar em falar do que vimos na região.

separador

brasão Muri Muri é um distrito de Nova Friburgo. Tornou-se o pólo gastronômico da cidade, com grande variedade de restaurantes típicos.

A grande variedade de cervejas, vinhos, queijos e a truta são os atrativos do local. Muri fica a meio caminho de Lumiar e São Pedro da Serra, distritos de vocação turística, com muitas cachoeiras e áreas perfeitas para montanhismo, canoagem, rafting, …

Após pegar algumas indicações, fomos atrás das flores de Vargem Alta, pertencente ao distrito de São Pedro da Serra. Após 9,5km (sentido Muri-Lumiar), vemos a única placa que faz menção a Vargem Alta. É uma saída a esquerda que, se não estiver atento, pode perder. No fim do post estão as coordenadas marcadas para o GPS.

Passados os primeiros 4,5kmns, já se avistam os grandes galpões estufa, com uma varidade muito intensa de flores.

Podemos ficar postando fotos indefinidamente, tantas são as varidades, e sempre em larga escala de produção, destinada aos mercados do Rio. Procuramos fazer contato com algum produtor. Seguimos a placa do Horto Heringer e lá conhecemos a dona Zenilda, proprietária de uma pequena área produtora.

Conhecemos então a flor de nome Astromélia, muito usada na produção de buquês para noivas.

buque

Continuando a visita, fizemos o nosso shopping de flores e plantas decorativas, contando com a atenção, explicações e orientações de D. Zenilda.

separador

Seguindo algumas sugestões, seguimos as orientações e placas para chegar ao Circuito das Cachoeiras. Lugar de acesso difícil, mas não desista. Lugares assim demandam alguma teimosia para chegar. Coordenadas no fim do post.

Lá encontramos um grupo de amigos churrascando neste paraíso, aproveitando a estrutura do Bar e Maloca do Sossego, no local a mais de 10 anos.

Aproveitamos a cerveja gelada e a beleza do lugar.

bambuNa volta para o camping em Muri, paramos para mais um shopping no Atelier Bambu Rio, projeto sócio ambiental mantido por Marcus Santa Rita, artesão há 36 anos. Com o enfoque na produção de móveis e artigos decorativos a base de bambu, encontramos finalmente a calha de chuva de bambu gigante, que faz muito tempo vínhamos procurando. Sua página no facebook é Atelier Bambu Rio.

Faltava ainda resolver o que teríamos para o almoço. Solução encontrada no Trutas Vale do Ypê. Compramos alguns filés de truta e retornamos ao camping para aproveitar o resto do dia, lembrando que a sauna seca beirando os 90 graus e a ducha de cachoeira num tubo de 100mm eram um convite irrecusável.

separador

Para obter as coordenadas geográficas dos principais pontos da viagem, clique aqui para o download do arquivo.kmz (google earth)

O álbum com todas as fotos da viagem veja aqui no Picasa.

retornar ao índice principal

.

Se você deseja viajar longe e rápido, viaje leve. Deixe pra trás todas suas invejas, ciúmes, incapacidade de perdoar, egoísmo, e medos.
Glenn Clark

BlogBlogs.Com.Br