domingo, 11 de março de 2007

Patagônia 2007 - El Calafate, El Chalten, Ushuaia.


Viajamos TAM para Buenos Aires. Resolvemos nos hospedar num albergue (Hostel da Rua Liberdad) que transmitiu alguma segurança nos contatos por e-mail e na página da internet. Mesmo com a confirmação impressa de nossa reserva, não tínhamos o quarto. Bom começo, para quem chega de viagem a noite, num país estranho. Depois de alguma discussão, apareceu um quarto com ar condicionado geral. Ocorre que o ar somente funcionava de 24:00 às 05:00.  Antes disso, esqueça que não dá para dormir. Afora que os quartos circundam uma praça interna, onde todos ficam batendo papo. Foi mesmo uma furada. Procuramos abstrair estes problemas e saímos para conhecer a cidade. Fizemos o passeio alternativo de bicicletas, orientado por guia bilíngüe. Num belo dia de sol, circulamos sem problemas. Acabei trazendo esta idéia para o Rio de Janeiro, com passeios guiados na orla das praias.
Ficamos somente 2 dias em Buenos Aires, seguindo logo para El Calafate.
Buenos Aires - Casa Rosada em Obras
Elegemos a cerveja Quilmes para a viagem










EL CALAFATE
Em El Calafate ficamos muito bem hospedados no Hotel Cerro Cristal, próximo de tudo, com todo o conforto esperado. De lá saímos para os passeios previstos em nossas pesquisas. Glaciar Perito Moreno e o Trecking no Gêlo.
No primeiro dia fomos de ônibus ao Parque Nacional Los Glaciares, onde ficamos cara a cara com o Glaciar Perito Moreno, com vistas da trilha e dos balcões e navegando bem próximos ao paredão de gelo. Fizemos todas as trilhas chegando a todos os balcões que davam vista ao glaciar. Vimos na oportunidade muitas quedas de gelo, em grandes proporções.
Glaciar Perito Moreno
 
 









Mais tarde pegamos a embarcação e seguimos bem próximos ao paredão. Visões únicas e incomuns aos nossos olhos de nativos tropicais.
Embarcados










No outro dia, fomos fazer a esperada caminhada sobre o gelo do glaciar. Tudo correu muito bem. Deslocamento de barco, com direito a chuva e bastante frio. A paisagem composta de pedras, troncos e galhos mortos e muito verde ao mesmo tempo. Chegamos ao abrigo, já do lado esquerdo do Glaciar. Fomos orientados quanto aos procedimentos de segurança e seguimos para o local de apoio logístico, com todos os equipamentos. Sapatos de prego, capas de chuva, luvas extras e saímos para o trecking. De fato muito diferente. Caminhar por sobre o gelo, ouvindo a água sumindo por buracos sem fim, abertos por pequenas partículas sólidas que absorvem o calor do sol. Ao fim do passeio, que tal umas doses de whisky e bombons para aquecer? Uma bela surpresa.
Trecking sobre o Glaciar
 
 








EL CHALTEN
A capital mundial do trecking. É o que se percebe ao chegar. Excetos os nativos, todos os demais tem uma mochila presa nas costas, um bom calçado para andar e muita disposição. Estavamos bem integrados.
Andamos muito por lá. As trilhas todas muito bem sinalizadas e bem conservadas. Mesmo com tanto trilheiro por lá, sempre tínhamos nossos momentos de paz e serenidade, tendo como protetores os Cerros Torre e Fitz Roy.
No segundo dia, fomos conhecer o Glaciar Huelmul e o Lago Del Desierto, sempre por trilhas. Afinal andar é a alma do lugar. Fizemos alguns amigos, que renderam bons papos nas noite de lá.
El Chalten - Os Cerros, trilha e Glaciar Huelmul
 
 
 
USHUAIA
Aconteceu o inesperado. Saltamos do avião embaixo de uma nevasca. Corremos para o Albergue Los Cormorones e deixamos nossas coisas. No mesmo taxi, seguimos de imediato para o Glaciar Martial, para aproveitar toda aquela neve. Pegamos o teleférico e subimos até o abrigo e de lá seguimos neve adentro. Sabíamos que aquele  clima era incomum nesta época do ano (março). Começamos com o pé direito. Vejam abaixo:
Glaciar Martial
 

Dia seguinte, fomos conhecer a Estância Harborton. O passeio começou por Van. Fomos até o Paso Garibaldi para fotos. Após 1:30h de trilhas e explicações históricas sobre a Estância, pegamos o Catamarâ Canoeiro, para visita a ilha dos Pinguns e a ilha dos Lobos. A viagem de retorno a Ushuaia foi de 70km por mar. Somente a tripulação e minha mulher não passaram mal. O mar estava muito batido e o vento congelante. Se for, tome um Dramin ou genérico, 30 minutos antes, aproveitando a cafeteria da fazenda.
Ilha dos Pinguins e Passeio Catamarã
 
 








Dia seguinte, saímos para um passeio de veleiro, até a ilha H, passando pela ilha dos Lobos, arquipélago das ilhas Thomas Bridge. Trata-se de uma ilha preservada, com solo e flora bem característicos. Com muita vida marinha, que pudemos observar durante uma bela caminhada. O passeio no veleiro IF foi muito agradável. O mar estava bem liso e a brisa permitiu uma velejada bem constante. Neste mesmo dia fomos conhecer o o Museu Marítimo e o Presídio da Cidade de Ushuaia.
Ilha H, Cormorones e Ilha dos Lobos
 
 
 
 
No dia seguinte fomos conhecer e fazer o percurso na réplica do Trem do Fim do Mundo, ou o Trem dos Presos, como era chamado 100 anos atrás, por transportar os presos na tarefa de corte de lenha, para abastecer o presídio e o povoado. A ferrovia corta o Vale do Rio Pipo. Ao fim do passeio, fomos ao Parque Nacional da Terra do Fogo, para algumas horas de trilha. A 11 km da cidade, este parque foi criado em 1960, contando com 63 mil hectares. Andamos por bosques de lengas, rios, lagos, diques de castores,... a natureza mais austral do continente.
Trem do Fim do Mundo
  









Parque Nacional da Terra do Fogo










Em nosso último dia, resolvemos voltar ao Glaciar Martial, nosso ponto de partida. Desta vez não estava nevando como na chegada. Pudemos então rever a mesma paisagem, agora mais descoberta e não menos bonita.
 Glaciar Martial com menos neve
 









Dica: Lembre-se de perguntar se sua hospedagem inclui aquecedor de ambiente. No albergue Los Cormorones não tem. Passamos muito frio a noite.






Coordenadas marcadas - Google Earth
.

0 comentários:

BlogBlogs.Com.Br