segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Ibitipoca – Lima Duarte – Minas Gerais - 2008

Antes de falar sobre o Parque Estadual de Ibitipoca nosso objetivo da viagem, quero destacar a pousada Estação Andorinhas que nos hospedou  e o IbitiCanyon (atrativo dentro da propriedade da pousada). Resolvi preparar uma apresentação dedicada a este lugar, dada a satisfação que tivemos em lá estar e pelo cuidado com que fomos recepcionados. Faça do download deste PDF e veja se não tenho razão. Destaque para a Cachoeira das Andorinhas.

CachoeiradasAndorinhas

-------

Tudo sobre o parque pode ser encontrado no link a seguir http://www.ibitipoca.tur.br/parque/. É importante tomar conhecimento das regras gerais de visitação e decidir quais circuitos de trilhas pretende percorrer, em função do tempo disponível. As trilhas são bem sinalizadas e sempre cercadas de atrativos naturais (piscinas, grutas, cachoeiras, paredões...).

Nesta nossa visita, optamos por fazer o Circuito das Águas (5 km ida e volta)  e o Circuito Pico do Pião (10 km ida e volta). O Circuito Janela do Céu (16 km ida e volta), deixamos para a próxima visita.

A seguir, algumas de nossas fotos preferidas.

Ibitipoca076 Ibitipoca055

Ibitipoca100 Ibitipoca097

Ibitipoca123 Ibitipoca103

Pousada Estação Andorinhas- http://www.estacaoandorinhas.com/
.

retornar ao índice principal

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Lumiar e São Pedro da Serra - RJ -agosto 2008


Mantendo nossa paixão por cachoeiras e lugares de serra, retornamos a Lumiar para rever o encontro dos dois Rios. Desta vez ficamos hospedados em São Pedro da Serra-Nova Friburgo, num hotel que pertence à Associação dos Policiais Militares-APM. Quase todas as pousadas estavam fechadas. São os problemas de viajar fora de temporada, sem fazer reserva antes. Contudo, fomos muito bem recebidos e atendidos pela APM e barato.
Fomos mais uma vez na cachoeira do Encontro dos Dois Rios e de lá subimos o rio atrás de outras hidros e poções.
Dia Nublado
Dia de Sol
 

Atrás de outras cachoeiras, chegamos  a Cachoeira São José e o Poço Verde.









Deixamos combinado de voltar para conhecer mais de perto a Pedra Riscada e sua trilha até o topo.
 

.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Urca - escaladas, trilhas e morada

Paraíso de escaladas com algumas trilhas e pistas. Mais de 270 vias, para os mais diversos gostos. Vista privilegiada a partir do Morro da Urca e do Pão de Açucar, para a enseada de Botafogo, Praia Vermelha, Aterro, Ponte, Niterói , Cristo Redentor, Floresta da Tijuca,...
É hoje o bairro mais cobiçado do Rio de Janeiro, para quem procura tranqüilidade e segurança. Morar na Urca é ter no fundo do quintal sua própria área de lazer. Escalar, andar, pescar, mergulhar, velejar, correr, passear,... sem falar que também é possível ter acesso a bons bares e restaurantes, alguns com vista para a enseada de Botafogo, como o Garota da Urca e o Bar Urca. 

Via Ricardo Prado - Morro da Babilônia

 
 Via Infra Vermelho - Coloridos - Morro da Urca
 

Vias Roda-Viva e Maurício Mota - Morro da Babilônia
  









Trilhas do Costão e do Morro da Urca
 








Urubu Capenga - Pedra do Urubu - mai-2010
SAMSUNG            SAMSUNG
Zé Jorge debutando na Infra-Vermelho - ago-2010
Télcio e Weseley conhecendo a via M2 - Maurício Mota - set-2010

Marcos Vinicius na via Fon-Fon – set/2010 e Preto – out/2010

fon-fon Preto

separador

Roda Viva – Babilônia com o amigo Henrique – fev/2012

RodaVivaHenrique

separador

Coloridos – Morro da Urca com meu filho Léo – mar/2012

leocoloridos

separador

Coloridos – Morro da Urca e Roda-Viva no Babilônia, com Daniel – Julho 2012

Escalando com o Danel RodaViva-Urca com Daniel

Graal – Suzana na Salomith e Edu na RodaViva – Outubro 2012

Salomith-Suzana Graal fotografia

Graal – com Elizete na via 3 Patetas – Novembro 2012

3Patetas1 3Patetas2

Via Coringa – com o Fred Graal – Janeiro 2013

coringa

Via Italianos – com o Cristiano Graal – Março 2013

Italianos Cristiano Graal

Luiz Arnaud – com Fred Graal – Maio 2013

Luiz Arnaud e Fred

sábado, 1 de março de 2008

Chapada Diamantina - Itacaré - Maraú - Boipeba - Bahia 2008


Esta viagem foi projeto de formação de Guia Nacional, daí a formatação cronológica abaixo.
 
Dia 01/03/08, encontro do grupo no Aeroporto Tom Jobim para check-in no voo 3194-TAM – GIG/SSA às 22:50h
Dia 02/03/08, chegada ao Aeroporto Luis Eduardo Magalhães às 02:00h – Transfer para a Rodoviária de Salvador. Embarque às 07:30h no ônibus da Real Expresso – Salvador/Seabra, com destino a Lençóis.
Chegada a Lençóis às 14:00h com hospedagem na Pousada da Hélia.
Visita não guiada ao Rio Serrano, com seus inúmeros caldeirões e ao salão das areias coloridas.
Rio Serrano e Caldeirões (panelas) em seu leito
 








Dia 03/03/08, passeio guiado ao Rio Sto Antônio, Mini Pantanal e a Cachoeira do Rio Roncador. Guiados pelo Silvio da Operadora local EcoTur, chegamos por carro ao lugarejo de nome Remanso.
Embarcamos em duas canoas e remamos por entre canais com vegetação semelhante ao do pantanal, por mais de 1:30h
Chegada a sede da Fazenda Velha com mais de 200 anos, agora praticamente abandonada, que serve de receptivo aos turistas que visitam o Rio Roncador e suas cachoeiras servindo um saboroso almoço de fazenda.
Ao fim da refeição um breve descanso e retorno ao carro, com mais 1:40h de remo. Passeio imperdível.
Marimbus – Mini Pantanal

Rio Roncador

Dia 04/03/08, passeio guiado a Gruta do Poço Azul em Mucugê, com flutuação. Visita ao Cemitério Bisantino, ao Projeto Sempre Viva, Museu do Garimpo, e banho nas cachoeiras da Piabinha e Tiburtino, alimentadas pelo Rio Cumbuca. Almoço em Mucugê. Guiados pelo Edilson da Operadora local ZenTur. Gruta Poço Azul – flutuação
Gruta do Poço Azul e flutuação









Cemitério Bisantino e Cachoeira da Piabinha










Cachoeira do Tiburtino e Projeto Sempre Viva









Dia 05/03/08, Atrativos do dia – Poço do Diabo, Gruta da Fumaça, Pratinha e Morro do Pai Inácio.
Com o suporte da Operadora local ZenTur e do guia Jayme, iniciamos o deslocamento por carro até a trilha de acesso ao Poço do Diabo,
onde pudemos mergulhar no lago formado pela cachoeira do Rio
Mucugezinho.
Após o mergulho nos deslocamos para uma visita a Gruta da Fumaça, para observar as formações construídas através do gotejamento e da infiltração de água por séculos.
Nos deslocamos para a flutuação nas águas da Pratinha, onde percorremos 450 metros flutuando dentro da gruta, observando sob a luz de lanterna as formações rochosas e os peixes da gruta submersa. Para completar , fizemos uma tirolesa de 150 metros com queda na água cristalina do atrativo.
Para concluir o dia, nos deslocamos a base do Morro do Pai Inácio, para uma subida de 450 metros, observando a vista da chapada e das elevações mais tradicionais do local.
Poço do Diabo e Gruta da Fumaça









Pratinha e Morro do Pai Inácio









Dia 06/03/08, Atrativo do dia – Caminhada ao topo da Cachoeira da Fumaça, com 380 metros de altura e 1280m do nível do mar. Com o apoio da operadora local Vertical e do guia Lucas, nos deslocamos para a base da trilha de carro. Lá contribuímos voluntariamente para a equipe responsável pela preservação da trilha e do atrativo e então, iniciamos a subida. Trilha de nível médio, em torno de 1:30h de subida e 1:15h de descida.
A vista da cachoeira é possível deitando-se sobre uma pedra lançada sobre o vão de 380m, acima da queda d´água. Muitas formações de arco-íris aparecem e somem, pela dispersão de água que sobe pelo canal de vento gerado no paredão. Grande parte da água lançada, não chega a tocar o solo, daí o nome Fumaça.
Após a descida pela trilha, fomos nos refrescar na Cachoeirinha, outro belo atrativo deste dia.
Cachoeira da Fumaça
 Cachoeirinha
Chegando a Lençóis, retornamos a pousada para descanso, e a noite saímos para jantar na cidade, no restaurante Fazendinha e Tal.
 
Dia 07/03/08, Atrativo do Dia – Cachoeira do Ribeirão do Meio e Cachoeirinha no Rio Serrano. Os passeios deste dia não requisitaram guias locais, pela facilidade de identificação e deslocamento pelas trilhas seguras e bem sinalizadas. Saindo do centro de Lençóis, a partir da Igreja do Rosário, andamos por trilha de 1,5 km até o grande poço do Ribeirão do Meio. As coordenadas da trilha desde o ponto zero estão no arquivo ao fim deste post.
Ribeirão do Meio e Erosão do Garimpo









Após banho nas águas escuras do Ribeirão, retornamos pela mesma trilha, chegando ao centro de Lençóis. No deslocamento para conhecer a Cachoeirinha do Rio Serrano, atravessamos a cidade e pudemos observar a degradação do solo, produzida por anos de garimpo de diamantes na região, hoje proibido. Iniciamos então a trilha para chegar a Cachoeirinha do Serrano, passando pelo Salão de Areias Coloridas. Num total de 1,5km, atingimos a queda d´água que nesta época estava bem seca.
Salão de areias coloridas e Cachoeirinha do Serrano













08/03/08, dia de deslocamento. Check out completo da pousada e check in no ônibus de Lençóis para Salvador as 08:00 AM. Após 7 horas de viagem, chegamos a Rodoviária de Salvador. Lá nos esperava o tranfer para o aeroporto Antônio Carlos Magalhães Filho. Todas as rotinas de aeroporto transcorreram normalmente. Pegamos o voo Tam 3611 de 17:08 com destino a Ilhéus. Chegando a Ilhéus por volta de 18:40, fomos recepcionados pelo transfer contratado para nos conduzir a Itacaré. Após o desembaraço das bagagens, e após 50 minutos de estrada, chegamos a pousada dos Piratas na praia das Conchas. Resolvidas as rotinas de bagagem e instalação nos quartos, fomos relaxar no restaurante Mar e Sol, com boa comida e um bom forró pé de serra.
 
09/03/08, Dia dedicado a passeio de barco pela costa, com acesso ao mangue do Rio das Contas. Com o suporte da operadora local Os Piratas, subimos a bordo da Traineira do Peixe, nas areias da praia da Concha. Circulamos a orla passando pelas praias Rezende, Tiririca, Da Ribeira, São José, Jeribucaçu, Engenhoca, Havaizinho e Itacarezinho. Grande parte delas com características de praias particulares, com porteiras e seguranças, algumas até com cobranças de taxas de visitação.
Após muitas paradas para mergulho, subimos os Rio das Contas, em direção a famosa Cachoeira da Pancada Grande, após pagamento de taxa de visitação ao dono da Fazenda.
Parada para almoço de uma moqueca de dourado no restaurante Felicidade de D.Dora e Sr. Miguel, as margens do rio.
Pousada dos Piratas e Praia da Ribeira









Cachoeira da Pancada Grande e nosso transporte









Nossa tripulação e a famosa moqueca de dourado









10/03/08, Atrativo do dia – Flutuação em Taipus de Fora para observar os corais e peixes. Iniciamos nosso deslocamento de Itacaré para Taipus de Fora às 07:30AM. Com o apoio da operadora local Zebra & Pepe, embarcamos num 4x4 – Land Rover e pegamos a balsa de 08:00 para a travessia do Rio das Contas, para acessar a estrada de terra que leva a Taipus de Fora, na península de Maraú. Chegando a Taipus de Fora, nos equipamos para desfrutar de hora e meia de flutuação por entre os corais.
O almoço foi no quiosque Lar das Meninas, onde saboreamos iscas de dourado com molho de iogurte com Campari.
No entardecer, nos deslocamos por jardineira até a Pousada Terra e Mar, já em Barra Grande, distrito de Maraú. Após a acomodação de todos e um breve descanso, nos reunimos para jantar no restaurante Cavalo Marinho, na praça das Mangueiras.
Nosso transporte e flutuação em Taipus de Fora









Restaurante Lar das Meninas e a jardineira para transporte









11/03/08, Atrativo – Passeio de barco pelas ilhas da Baia de Camamú.
Por volta de 09:30AM, embarcamos na escuna Pontal da Baleia. Nossa primeira parada para mergulho foi na Coroa Vermelha.
Segunda parada na Pedra Furada. Terceira parada na Ilha do Goió.
Quarta parada para almoço, na ilha do Sapinho.
Após o dia de atividade no mar, retornamos a Pousada Terra e Mar em Barra Grande para descanso. A noite foi considerada livre para cada um optar pelo seu uso.
Ilha da Pedra Furada
 








12/03/08, Dia de Deslocamento – Destino Boipeba. Concluídas as rotinas de fechamento das contas da Pousada Terra e Mar, pegamos a 08:00AM a lancha rápida com destino a Camamú. Como tínhamos um intervalo de tempo bom para a saída do ônibus, visitamos o estaleiro de Camamu, onde são construídas as maiores escunas de madeira, exportadas para a Europa e América do Norte.
Às 09:45 embarcamos para o percurso de Camamu até Nilo Peçanha onde baldeamos para outro ônibus, com destino a Torrinhas.
Tomamos o barco que nos levaria a Boipeba, através do Rio do Inferno. Foi um percurso de 1:40m com o rio de águas rasas em virtude da maré vazante, através de um mangue muito bem preservado. Por volta de 13:30h chegamos a Boipeba.
Com o auxílio dos locais, as bagagens foram transferidas do barco para a Pousada Casa do Sol, onde após as rotinas de check-in todos puderam desfrutar de um final de tarde e por do sol inesquecíveis, a beira mar da Praia da Barra de Boipeba.
Saindo de Barra Grande e Estaleiro de Escunas









Marina e Por do Sol em Boipeba









13/03/08, Dia de caminhada pela ilha de Boipeba. O roteiro consiste em costear as praias da Barra, Prainha, Tassimirim, Coeira, Moreré e Bainema.
Devidamente equipados com bastante água, iniciamos nosso passeio com inúmeras paradas para banho nas belas praias da ilha. Em Moreré, avistamos as piscinas naturais de arrecifes, que podem ser alcançados por barco para mergulho. Ao retornarmos da praia de Bainema, paramos no restaurante do Gentil em Moreré para saborear uma Moqueca de Camarão com banana, tendo como entrada polvo ao vinagrete, previamente reservada. Após um descanso prolongado nas redes, retornamos a vila de Boipeba, cruzando pelo centro da ilha, onde pudemos observar pelo alto o
contorno da ilha e de suas praias. Foi possível observar o recuo dos nativos para o alto de morro, em razão da compra das áreas mais nobres por grande número de estrangeiros, especialmente espanhóis, italianos e portugueses. Praticamente todas as praias estão, em teoria e não legalmente, reservadas, dificultando o circuito livre dos turistas.
Praia de Tassimirim e Coqueiral Nativo









Praias da Coeira e Bainema









14/03/08, Atrativo do dia. Passeio de lancha rápida pelas praias de Boipeba, com paradas para mergulho nas piscinas naturais de coral. Desta feita, estávamos revendo as praias do dia anterior, pelo mar. Com a lancha fomos até a Ponta dos Castelhanos, onde iniciamos a flutuação e observação dos corais e da vida marinha ali preservada. A parada para almoço foi mais adiante, na Vila de Pescadores, chamada de Cova da Onça. No restaurante do Sr. Orlando, além de várias opções foram servidas lagostas ao molho vinagrete, cozida, ao alho e óleo ... além de vários acompanhamentos.
Dando sequência ao passeio, seguimos de lancha até o banco de areia chamado de Coroa Grande, situado 10 km mar adentro. Nosso retorno a Boipeba foi pelo Rio dos Patos, com uma agradável parada para degustar ostras frescas do criadouro local, em restaurantes flutuantes. Como brinde do passeio, aguardamos o por do sol às margens do rio. Terminamos nosso passeio, retornando a vila de Boipeba cruzando o rio ao anoitecer.
Lancha Rápida e Ponta dos Castelhanos









Cova da Onça e Lagostas do Sr. Orlando









Por do Sol no Rio dos Patos









15/03/08, Dia de Deslocamento. Destino Salvador.
Toda a manhã foi liberada para banhos de mar na praia da Barra em
Boipeba. Às 1:20 da tarde, pegamos duas lanchas rápidas que nos levaram até Graciosa em 30 minutos.
Às 2:30 da tarde, pegamos o ônibus que nos conduziu até Bom Despacho, num percurso de 2 horas.
Às 5:15 da tarde, pegamos o Ferry Boat que nos levou a Salvador, num percurso de 1:15 minutos.
Com o apoio da operadora local Brasil Viagem, as bagagens foram recolhidas nas vans responsáveis por nosso transfer para o aeroporto. Como tínhamos ainda algumas horas até o check-in, fomos visitar o elevador Lacerda e o Mercado Modelo. Às 3:50 da madrugada, pegamos o voo TAM 3195 – SSA/GIG com destino ao Rio de Janeiro, onde após todas as rotinas de desembaraço de bagagens, nossos passageiros foram liberados, após a devolução dos questionários de satisfação.
 


Descritivo em PDF - download
Coordenadas marcadas - Google Earth
.
BlogBlogs.Com.Br